A raiva é uma doença infecciosa viral aguda, que acomete mamíferos, inclusive o homem, com letalidade de aproximadamente 100%. Infelizmente, ela atinge em grande parte os cachorros, por isso, é necessário estar atento em como prevenir a doença e saber o que fazer para proteger nossos peludos! A Dra. Danielli Herbst Ely, médica veterinária no Centro Clínico Veterinário e conveniada da Nofaro nos respondeu as principais dúvidas sobre a doença, confira!

 

Quais são os sintomas da raiva?

 

O período de incubação, em geral, é de 15 dias a 2 meses. Na fase inicial (forma furiosa), os animais apresentam:

 

  • Mudança de comportamento

  • Escondem-se em locais escuros

  • Mostram uma agitação inusitada.

  • Ficam sensíveis a qualquer coisa, demonstram reações exageradas

  • Anorexia

  • Irritação ou prurido na região de penetração do vírus e uma ligeira elevação da temperatura podem estar presentes.

 

Após um a três dias:

 

  • Ficam acentuados os sintomas de excitação, o cão se torna agressivo.

  • A salivação torna-se abundante, uma vez que o animal é incapaz de deglutir sua saliva, em virtude da paralisia dos músculos da deglutição.

 

Na fase final da doença, é freqüente observar:

 

  • Convulsões generalizadas, que são seguidas de incoordenação motora. A forma muda se caracteriza por predomínio de sintomas do tipo paralíticos, sendo a fase de excitação extremamente curta ou imperceptível. A paralisia começa pela musculatura da cabeça e do pescoço; o animal apresenta dificuldade de deglutição, e a seguir, vem a paralisia e a morte.   

 

Como o cachorro contrai a doença?

 

A transmissão do vírus da raiva é feita, geralmente, por meio da saliva de um animal infectado para outro, através de mordeduras, embora outras vias sejam relatadas (membranas mucosas: olhos, nariz, boca), aerossóis e transplante de córnea.

 

A raiva urbana é transmitida principalmente de cão para cão, porém, outros animais domésticos urbanos podem ser infectados. A raiva rural é mantida no campo pelo morcego hematófago, que é o reservatório do vírus no ambiente rural. Dessa forma, o morcego transmite o vírus para diferentes espécies de animais domésticos, como bovinos, equinos, caprinos, etc.

 

Qual é o tratamento? Existe cura?

 

É preciso investir em prevenção, pois infelizmente não existe cura para a doença, sendo a raiva uma doença quase sempre fatal. Quando a prevenção não ocorre e a doença se instala, atualmente pode-se utilizar um protocolo de tratamento da raiva humana, baseado na indução de coma profundo, uso de antivirais e outros medicamentos específicos, entretanto, é importante frisar que a maioria não sobrevive, sendo a conduta de eutanásia ainda bastante utilizada na rotina da clínica de pequenos.

 

Como prevenir a doença da raiva?

 

A melhor forma de prevenção é a vacinação. O cão a partir de 4 meses, já pode ser imunizado contra a raiva canina. Todos os planos da Nofaro cobrem a vacina! Além disso, se o tutor residir em fazendas ou chácaras, que geralmente são lugares de mata, o ideal é manter sempre a vigilância com relação a possíveis animais silvestres rondando os locais onde todos, animais e humanos, convivem.

 

O vírus da raiva e muito sensível aos agentes físicos e químicos sendo possível a sua inativação em poucos minutos pela ação de ácidos e bases fortes, luz solar, alterações de PH, temperatura e raios ultravioleta.

 

E aí pessoal? Viram a importância de proteger nossos pets contra essa doença? Se você ficou com alguma dúvida, escreva embaixo nos comentários!