O microchip para cães e gatos é uma forma moderna de identificar o animal de estimação de um modo eficaz e seguro. Trata-se de um micro-circuito eletrônico, de tamanho aproximado a um grão de arroz, implantado sob a pele. Caso o animal se perca ou até mesmo seja roubado, pode ser identificado facilmente por meio de seu microchip. Para isso, usa-se um equipamento leitor e através do número lido podem ser acessados os dados de contato dos seus donos.

Não é um sistema de localização por radar ou GPS, mas sim um sistema de identificação. Funciona como um 'RG eletrônico'. Em vários países como Estados Unidos, Espanha e Reino Unido é obrigatório o uso deste método para identificar todos os animais de estimação/companhia. É uma tendência natural que só traz benefícios ao segmento e à população em geral.

Dúvidas frequentes:

1) O microchip faz mal à saúde do animal?
Não. O microchip é completamente biocompatível e inofensivo à saúde do animal; Não há virtualmente nenhuma possibilidade de desenvolver processo alérgico ou de rejeição se corretamente injetado.

2) Vai doer? Machuca o animal?
O microchip é injetado com uma seringa especial parecido aos aplicadores de vacinas. Embora a agulha do aplicador de microchip tenha o diâmetro um pouco maior do que uma agulha de aplicador de vacinas, os animais reagem da mesma maneira, sendo o procedimento indolor.

3) O microchip precisa ser substituído após algum tempo?
Não. Como o microchip fica dentro de uma cápsula de biovidro cirúrgico, a durabilidade deste dispositivo é de aproximadamente 100 anos.

4) Há restrição para alguma raça ou peso de animais?
A princípio não há uma restrição quanto ao cão ou gato que irá receber o microchip, podendo ser de qualquer raça, tamanho ou peso.

5) Existe idade mínima recomendada para a implantação do chip?
De acordo com especificações técnicas ele já pode ser injetado a partir do 10º dia de vida do animal. A indicação de alguns médicos veterinários é de que o microchip seja implantado após os 2 ou 3 meses de idade.

6) O microchip pode mover-se dentro do corpo do animal?
Não. Quando implantado corretamente e se utilizado microchip com camada antimigratória, essa camada impede o deslocamento do chip.

7) É necessário realizar microchipagem para viagens internacionais com cães e gatos?
Sim. De acordo com o Ministério da Agricultura a microchipagem é um pré-requisito para a elaboração do passaporte para cães e gatos. Por consequência precisa ser feita para viagens internacionais.

8) Quanto custa em média?
O preço da microchipagem costuma ser de aproximadamente R$ 120,00, mas o cliente da Nofaro recebe gratuitamente junto com a primeira consulta de avaliação.

Um microchip realmente ajuda a encontrar um animal perdido? Sim! De acordo com a Associação Americana de Médicos Veterinários um estudo com mais de 7,700 animais de abrigos mostrou que 52% dos que tinham microchip voltaram para casa, contra apenas 21% dos que não tinham. Os pets que não voltaram para casa, na maior parte das vezes, foi porque as informações do microchip no banco de dados não estava atualizada, ou nem tinham sido inseridas. Então, se for microchipar seu animal, certifique-se de que o cadastro esteja sempre atualizado!