O bola de pelos da família, barrigudinho, rechonchudo. Caso você sinta aquela camada de gordura a mais no seu pet, ele pode estar acima do peso!

E aí é preciso ter certeza de que seu amiguinho não está sendo exposto a riscos mais sérios de saúde. Para entender melhor a razão pela qual a obesidade se torna um perigo, você deve saber que são 5 fatores que causam problemas de peso em cães e gatos.

O psicológico é um dos principais, e são associados ao nervosismo, aborrecimento e doenças metabólicas/endócrinas.

O fator social entra na mesma questão e acontece através da competição pelo alimento com outros animais, ou donos que estimulam a ingestão desmedida de alimentos. E quando o assunto é alimentação, sabemos que nem sempre lhes é proporcionada uma alimentação apropriada.

Quem precisa lidar com a carinha de pidão estilo gato de botas do shrek, pode confirmar o quanto é difícil negar um pedacinho.

Dessa forma, o tipo e disponibilidade dos alimentos também surge como um motivo que pode variar e causar distúrbios na ingestão dos pets. Já que os alimentos com maior teor de gordura e os doces são mais saborosos e mais bem utilizados pelo organismo.  

A condição da genética é outra causa: raças como Pug, Cocker Spaniel, Labrador e Golden Retriever, West Highland Terrier e Collie parecem ter predisposição genética para a obesidade.  

E por último, o envelhecimento como adversidade: a taxa de metabolismo basal (energia consumida para as atividades vitais do organismo) junto a uma queda na atividade física mostram que o envelhecimento favorece o desenvolvimento da obesidade em pets.

Claro que é legal ver nossos gatinhos e cachorros felizes por receberem um petisco , mas o dono tem que lembrar que esses amiguinhos não possuem a mesma sensibilidade que nós, por isso não devem ganhar petiscos humanos como se fosse agrado. Logo, se o caso da obesidade já é recorrente, um especialista pode indicar qual é a forma de melhor alimentar o pet, assim como apontar quais rações são mais adequadas à cada raça.

Depois de definir qual é a saída para manter seu pet longe da obesidade através de uma alimentação eficaz, o jeito é estimular que seu pet realize alguma atividade física. Porque se ele passa muito tempo em casa e não se movimenta, a obesidade ocorre facilmente.

Muitas vezes, um pátio enorme não faz sentido se você não se dedicar um pouco e fazer seu amiguinho correr.

O ideal é que os animais se exercitem regularmente. Apenas caminhar não é o suficiente. Portanto, é essencial que haja brincadeiras como aquela corrida atrás de brinquedos, por exemplo. São hábitos que precisam estar presentes na rotina de qualquer animal, desde seus primeiros meses de vida (e as vezes, deixamos para lá com a correria de nossas rotinas). Os gatinhos curtem mais escalar e pular. Nesse caso, você pode instalar prateleiras que permitam isso, assim como os arranhadores, que instigam o exercício físico.

Quem não deseja uma vida longa ao seu animalzinho, não é? Então fica de lição: a obesidade pode ser séria e encurtar esse desejo.

Agora que você já sabe como lidar com isso, nem pensar em doenças cardíacas, diabetes, problemas de ordem hepática e nas articulações. Afinal, é preciso cuidar da vidinha de quem nos acompanha com tanto carinho. Para evitar futuros problemas, conte com as +de 40 clínicas credenciadas  pela Nofaro e comece hoje mesmo a proteger seus pet.