Onde deixar meu cachorro quando eu for viajar? A pergunta que todo mundo que tem um já se fez. Basicamente, há quatro respostas possíveis: familiares, amigos ou vizinhos, petsitter, anfitriões de pets e hotelzinho. 

Para responder essa pergunta tem que ter muita responsabilidade, e é uma tarefa a ser avaliada com cuidado. 

Sabemos que hoje em dia cada vez mais hotéis estão se tornando pet friendly (ou seja, aceitando a presença dos nossos amigos peludos), mas nem sempre essa é uma opção viável. 

E se a sua viagem é daquelas que seu cachorrinho não possa ir, a primeira coisa que aconselhamos é: deixe com alguém (ou lugar) de confiança! Não existe nada melhor que viajar com a consciência em paz, com a certeza que fizemos a escolha certa, não é mesmo?

A primeira coisa que nos vem na cabeça ao pensar no que fazer nesses casos é deixar o pet na companhia de algum conhecido ou não tirá-lo do seu ambiente natural. Mas se isso não for possível, muitos hoteizinhos para cães possuem uma estrutura excelente e proporcionam atividades divertidas para os hóspedes de quatro patas. Para isso, eles devem seguir algumas regras e você deve ser incansavelmente criterioso para garantir que seu filho peludo estará bem amparado e em segurança. 

Vamos te dar algumas dicas super importantes para te ajudar na escolha! 

Indicação e boas avaliações

Sem dúvidas um requisito primordial para começar a sua busca com o pé direito. 

Indicação de alguém (em quem você confia) que já tenha utilizado esse tipo de serviço e teve uma experiência positiva já é meio caminho andado. 

Por quê meio caminho e não inteiro? 

Mesmo assim, é preciso se certificar sobre coisas fundamentais que hoje em dia são de fácil acesso com a internet - como as avaliações do que você está cogitando. A dica aqui é pesquisar no Google, nas Redes Sociais e em Sites, isso já permite que você conheça a experiência de outros tutores, quais as observações ali descritas e assim já fazer um check list dos locais que você não se sentiu à vontade para deixar seu pet.

Higiene e bom espaço 

Com a listinha dos serviços que você mais gostou em mãos, vamos para o próximo passo: a hora da visita. Afinal fotos costumam ser meramente ilustrativas, né?!

Geralmente quando o tutor chega no local, ele já é convidado para conhecer os ambientes que seu cão ficaria. Se isso não acontecer, não fique sem jeito e peça para visitar! 

Fique com os olhos bem atentos à higiene, se o local tem cheiro bom e principalmente - se houver algum animal de estimação ali - confira se ele tem água limpa disponível, se o tamanho do espaço que ele está é adequado e confortável e se o bem-estar dele é visível. Quanto menos o lugar se parecer com uma gaiola melhor, ninguém quer isso para seu bichinho. 

Observe se há espaço para brincadeiras, pois ele precisa se exercitar e de preferência, que ele fique solto a maior parte do tempo. É saudável que os pets convivam e interajam entre si na estadia, mas é importante ter certeza que há responsáveis junto que tenham todo o conhecimento de como agir, caso algo aconteça. 

Funcionários de plantão e assistência veterinária

Regra: independente de qual for a sua escolha, é obrigatório que o hotel conte com funcionários 24 horas no local. Motivos óbvios de segurança e para qualquer sinal de crise ou acidente que possa vir a acontecer. Prevenir é melhor do que remediar. 

A presença de um médico veterinário também é importante. Caso o profissional não fique lá, é preciso se certificar que existe a possibilidade de atendimento rápido e eficiente de clínicas próximas ou de algum vet que resida próximo e possa se deslocar rapidamente.  

Local 100% seguro 

Tudo para evitar qualquer chance de fuga. Em épocas de férias ou feriados, muitos tutores procuram esse serviço e o local funciona como uma creche canina, o que dificulta a atenção personalizada a cada peludo.

Então tenha o máximo de evidências que é impossível do seu pet escapar.

Alimentação 

Nossa dica para este item é que você leve a ração ou a alimentação que o cãozinho está acostumado a comer. Assim ele não corre riscos de não se adaptar a comida que o hotel oferece e nem de passar mal com possíveis trocas de hábitos.

Ele já estará fora do seu ambiente, então a gente aconselha que o tutor mantenha sua dieta alimentar durante essa temporada!

Hora de ver se é um hotel para cães sério: Contrato!

Se você acha que encontrou o hotelzinho ideal, fique atento ao momento de fazer o contrato da hospedagem. Alguns documentos e exigências devem ser cobradas por partes do local, confira: 

- Documento de vacinação e vermifugação em dia;

- Comprovação de que seu animal é sociável e não é agressivo;

- Inúmeras perguntas a respeito da rotina, alimentação, saúde e comportamento do seu cãozinho;

- Dados do tutor, incluindo seus telefones de emergência e de algum familiar que possa ir ao local caso necessário. 

Dicas úteis 

Deixe no hotel que seu cãozinho ficará algum objeto que ele goste muito e que de preferência possua o seu cheiro, como mantas, caminha ou até mesmo um brinquedo. Isso fará com que ele se sinta mais à vontade em um ambiente novo. 

Fique atento ao seu retorno, na hora de buscá-lo. Você consegue perceber se o seu animalzinho foi bem tratado se ele sair do local feliz, abanando o rabo e com a expressão saudável. 

Se isso ocorrer, ponto positivo e menos uma preocupação para as próximas viagens sem ele! Não apenas pela confiança já estabelecida, mas também porque seu cão já se sentirá mais confortável, como você. 

Para finalizar lembramos: Pesquisa, pesquisa e pesquisa! A melhor forma de adquirir confiança sobre o serviço é saber tudo sobre ele antes de chegar lá com o pet para hospedá-lo. Usem e abusem dos poderes de comunicação da internet, ela é um meio muito eficiente para quem busca serviços pela primeira vez.

Gostaram das dicas? Se tiverem experiência sobre o assunto, compartilhe nos comentários. Quem sabe você possa ajudar quem esteja procurando por esse serviço para seu peludinho! Desejamos boa viagem e uma ótima estadia para seu aumigo!