Seu cachorro está com pelos brancos, seu gato já não tem o apetite de antes. O tempo de sono é cada vez maior e a energia para brincar, cada vez menor. Os efeitos do tempo afetam o organismo e o comportamento de todos, inclusive dos animais de estimação. 

Com um pet velhinho em casa, é essencial adotar cuidados parecidos aos de um humano idoso: preservar a rotina, deixar a casa bem protegida para evitar quedas - cuidado com escadas e móveis, pois um acidente pode ocasionar danos nas articulações e prestar muita atenção à saúde e à dieta - animais nessa fase precisam de uma alimentação adequada e alguns podem inclusive precisar de suplementos.

O avanço da medicina veterinária está contribuindo para o aumento da expectativa de vida dos pets, mas os cuidados no dia a dia fazem a diferença. Por isso, o tutor precisa de uma maior atenção com seu melhor amigo para que ele envelheça de forma saudável e sem sofrimento.

Os sinais da terceira idade animal começam com mudanças de comportamento - o pet passa a dormir mais horas, ter menos energia para brincadeiras e aos poucos vai ficando mais quietinho (diferente de triste). A observação do comportamento do pet, associada à adoção de práticas preventivas são indispensáveis. As idas ao médico veterinário que costumavam ser anuais, nesse momento deve ser mais regular. Essa é a hora do tutor comunicar qualquer mudança observada no físico e na rotina do bichinho para evitar surpresas. 

Mas como saber se o seu pet já atingiu a fase idosa?

Talvez ele faça mais xixi do que o normal ou vá ao “banheiro” no lugar errado. É comum haver mudança de peso (gatos podem emagrecer e cachorros engordar), dificuldade em movimentar-se, mau hálito e até perda de dentes. Muitos tutores não sabem a importância que tem escovar os dentinhos do animal, ao envelhecer eles sofrem com o tártaro, formado com o tempo e a falta de escovação. Esse problema pode ter consequências graves para a saúde do pet, como gengivite e doença periodontal, que causam dor e dificuldade de mastigação. Assim, tratar dos dentes está entre os cuidados indispensáveis. 

Na hora do soninho, roncos altos podem ser mais frequentes. O globo ocular pode ficar esbranquiçado, então é imprescindível consultar o veterinário de sua confiança para evitar que a visão do seu amigo seja prejudicada.  

Entre os gatos, a agilidade torna-se menor, os saltos mais curtos e muitas vezes os felinos acabam se escondendo (em armários, embaixo de móveis, etc), pois no seu universo se tornam uma presa fácil. 

As doenças mais comuns são: catarata, insuficiência renal, artrite, artrose, problemas cardíacos, problemas dentais e cegueira e surdez, como as mais recorrentes. Desconforto na coluna ou nas articulações podem causar dores e com isso diminuir o apetite. Nesse caso a prática de exercícios de menos impacto em conjunto com uma alimentação adequada é o indicado.

Se você tem um cãozinho idoso nós temos uma matéria especial que fala especificamente de cachorro. Fique à vontade para conferir! 

Ah, dica! Para quem opta por investir mesmo na saúde do peludo, vale cogitar um plano de saúde para ele. É uma forma de oferecer medicina preventiva de qualidade para cuidar do seu pet do jeitinho que ele merece nessa fase tão significativa para a parceria de vocês

Mas dentre todos os cuidados nunca esqueça! O mais importante é ter paciência e muita dose de carinho com o velhinho! 

Gostaram? Compartilhem experiências com a gente <3