Conjuntivite canina é a inflamação da conjuntiva, um tecido fino e vascularizado que recobre a parte branca do olho e o interior das pálpebras. Uma doença que pode parecer simples, mas que deve ser tratada corretamente para não causar problemas maiores para o cão, além de trazer muito incômodo.

Para entender mais sobre o assunto, conversamos com a Dra. Maíra Haase Pacheco, oftalmologista veterinária credenciada na Nofaro! Confira:

Quais são os sintomas da conjuntivite canina?

  • Olhos vermelhos

  • Secreção ocular branca ou amarelada

  • Coceira

  • Dor (pálpebras fechadas)

O tutor observa que o cão esfregando os olhos contra objetos (cama, almofada, tapetes..) e passa a patinha nos olhos para coçar. 

Como o cão se contamina?

As causas mais comuns de conjuntivite canina são alérgicas e imunomediada, é uma reação imunológica individual. Sendo assim, normalmente em cães ela não é transmissível, não havendo uma contaminação.

Pode ser passado para humanos?

Visto que a causa da conjuntivite em cães é uma reação imunológica e não uma contaminação ambiental, elas não são transmissíveis nem para outros cães, nem para humanos. 

Como é o tratamento?

O tratamento é feito com colírios específicos para cada tipo de conjuntivite, de acordo com a causa.

Como prevenir a conjuntivite canina?

A melhor forma de prevenção de doenças oftálmicas é manter a os olhos do cão limpos, limpar as mãos com sabão antes de manipular os olhos, não usar medicamentos por conta própria, nem usar colírios vencidos ou abertos a mais de 30 dias, além de realizar a avaliação oftalmológica com uma frequência de 1 ou 2 vezes no ano.