Quando chegam as férias, para nós mamães e papais de pets, sempre fica aquela dúvida e aperto no coração: onde deixar meus cachorros ou gatos? Às vezes a saudade é tanta que queremos levar nossos pets conosco para viajar. Afinal, eles também merecem, né? Para que você possa fazer isso com tranquilidade e sem estresse, a Nofaro separou as regras de Pets em aviões que você precisa saber para levar cachorros e gatos nas férias!

 

1. Documentação para vôos nacionais

 

Com certeza, essa é a primeira coisa que você precisa saber para viajar de avião com seu gato ou cachorro. Para vôos nacionais, são necessários:

 

- Comprovante de vacinação antirrábica: Atenção! A vacina precisa ter sido aplicada há mais de 30 dias e há menos de um ano do embarque.

 

- Atestado de saúde do animal: Você precisa levar seu pet para ver um médico veterinário para ele examiná-lo e emitir o atestado. Atenção! Precisa ter validade de 10 dias da data de emissão.



2. Documentação para vôos internacionais:

 

  • Certificados Veterinários Internacionais - CVI: é um documento que alega que seu pet é saudável e está apto para viagens. Ele têm validade de 60 dias, ou seja, é necessário emitir um certificado toda vez que seu pet for viajar para o exterior. É gratuito e pode ser feito nas unidades da VIGIAGRO ou da Superintendências Federais de Agricultura, Pecuária e abastecimento da sua UF. Se a viagem for para os Estados Unidos, o certificado pode ser emitido online nesse site link.



  • Passaporte Animal para voos internacionais: Alguns países que já aceitam o Passaporte para trânsito de cães e gatos, que substitui o CVI. A maior vantagem é que o Passaporte não tem validade, somente é necessário antes de todas viagens solicitar ao médico veterinário que registre as informações sanitárias do pet. O documento é emitido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e é gratuito. Ele também pode ser usado em voos domésticos, substituindo o atestado de saúde do animal. Os países que aceitam o Passaporte atualmente são: Argentina, Paraguai, Uruguai, Venezuela, Brunei, Colômbia, Gâmbia e Taiwan.



3. Observe as exigências da companhia aérea

 

As companhias aéreas têm o direito de pedir exigências diferentes, e podem variar bastante! Apesar disso, certas linhas aéreas procuram facilitar todo o procedimento e deixar você e seu pet muito confortáveis! Por isso, é importante analisar as regras de cada uma antes de escolher.

 

Verifique nos links abaixo as regras específicas das principais companhias aéreas brasileiras:

 




4. Estar atento às exigências de cada país

 

Atenção! Essa parte é muito importante: muitos países têm exigências específicas para seu pet entrar no país. Geralmente são vacinas, em decorrência às doenças que são comuns nos países que nossos bichinhos precisam estar imunes, através de vacina! Você encontra essas informações nos sites das embaixadas de cada país.

Exemplo: O Uruguai exige que seu pet tenha feito a vacina contra a Echinococcus granulosus para entrar no país.

Então não se esqueça: verifique as exigências do país que vocês irão visitar!



5. Avise a companhia aérea com antecedência

 

Por ser um serviço adicional com custo extra, você precisa avisar a companhia aérea do seu voo que vai levar seu pet. Além disso, existe um limite para cada voo de pets a bordo, então avise o quanto antes puder!




6. A Microchipagem é pré-requisito para viajar internacionalmente

 

Para quem não sabe, Microchip é uma forma de identificação do seu pet, como o nosso RG. É do tamanho de um grãozinho de arroz, a aplicação funciona como uma injeção, feita na nuca do peludinho. Mas por que precisa do microchip para sair do país? Para fazer o passaporte do pet! O Microchip é um pré-requisito para essa etapa. Sem contar a segurança que ele proporciona. Quer saber mais sobre? Você pode acessar nosso post sobre Microchipagem.



7. Alguns lugares não permitem que você leve seu bichinho

 

Mesmo com todas as medidas e regras tomadas, alguns países simplesmente não permitem que você leve seu pet para lá. São leis criadas para prevenir interferência com a fauna e flora local, evitar contaminações de doenças, entre outros motivos. Mas não é completamente impossível! Existem procedimentos que podem ser feitos que variam em cada país, mas eles podem custar em torno de 10 mil dólares! Esses procedimentos também levam tempo, você precisaria deixar seu pet em quarentena. Por isso, recomendamos que só se faça isso caso vá morar no país.

 

A lei é tão séria que até o ator Johnny Depp foi preso por levar seu pet ilegalmente para a Austrália!

 

A lista atualmente inclui: Ilhas Galápagos, Austrália, Nova Zelândia, Papeete, África do Sul e Inglaterra.

 

8. Algumas raças não são aceitas

 

As companhias aéreas possuem listas de raças que têm condições especiais ou são simplesmente proibidas em voos. Novamente, é imprescindível verificar todas as normas da companhia aérea!

Exemplo: a GOL não aceita animais braquicefálicos (Pug, Buldogue Inglês, Buldogue Francês, Boston Terrier, Pequinês, Boxer, Dogue de Bordeaux, Shih Tzu, Boston Terrier, Boxer, Persa, etc) no porão do avião, em decorrência aos seus problemas respiratórios.

 

 

9. Pet na cabine

 

Atualmente já é possível viajar com seu pet dentro da cabine do avião! O que é muito mais tranquilo para nós, mamães e papais de pets, que podemos garantir que eles estarão bem o vôo inteiro.

Existe uma limitação de peso (contando com o peso da caixa para transporte) e um limite de pets por voo, que variam de acordo com a companhia aérea, mas em geral, somente pets de porte pequeno entram na categoria.

 

Confira os limites de peso das principais companhias aéreas brasileiras:

 

GOL: 10 kgs

Avianca: 10 kgs

Latam: 7 kgs

Azul: 5 kgs

 

10. Pet no porão

 

É a opção para pets de porte maior! Apesar da ideia de ter seu filhinho no porão do avião ser um pouco assustadora, fique tranquilo! As companhias aéreas garantem conforto e segurança para os bichinhos, com acompanhamento dos colaboradores. Se seu pet possui alguma condição especial, não se esqueça de avisar a companhia!

 

Prontinho! Agora você sabe todas as medidas necessárias para viajar com seu pet em aviões!

E aí? Bora viajar?