Fazer uma viagem com o pet pode ser uma boa escolha, mas isso vai depender da maneira como o dono do bichinho vai conduzir esse momento.

Estamos falando de um animal que, por mais esperto e treinado que seja, pode apresentar um comportamento inesperado diante de alguma situação de estresse.

Seja de carro, de avião ou qualquer outro meio de transporte, seus animais de estimação, principalmente os gatos e os cachorros, não podem viajar de qualquer maneira e é preciso dar atenção a isso.

Não se trata de uma pessoa e nem de uma bagagem, então, é preciso saber como acomodá-los e tranquilizá-los, para que você, o animal e qualquer indivíduo que os acompanhe faça uma viagem agradável.

O primeiro passo é se informar sobre o assunto, e é isso o que você vai fazer lendo este artigo. No entanto, também é importante saber o que leva uma pessoa e até uma família inteira a viajar com seu pet.

Além disso, é importante se antecipar para os transtornos que uma viagem mal planejada com um animal pode provocar, para não ser pego de surpresa.

Por fim, estar por dentro de algumas dicas que podem garantir uma viagem mais tranquila e segura, tanto para o pet quanto,  para os acompanhantes. Por isso, acompanhe a leitura!

Por que algumas pessoas viajam com seus pets?

Os pets são considerados, pelo menos pela maioria dos tutores, como verdadeiros membros da família, sendo tratados como filhos.

Eles são nossos companheiros, dividindo conosco nossa casa, fazendo parte do nosso dia a dia, dessa maneira, precisam de atenção e cuidado, como ir para um oftalmologista para cães, para sempre estarem fortes e saudáveis.

Toda essa convivência e desvelo geram um apego ao animal, o que torna difícil se separar dele, mesmo que seja por alguns dias.

Essa é uma das primeiras razões que faz com que uma pessoa viaje com seu animal de estimação, independentemente de seu destino.

Além do apego, não ter com quem deixar o animal é outra preocupação que persegue muitos tutores, principalmente aqueles que moram em apartamentos.

Quando fica muito tempo sozinho e preso em um espaço limitante, o animal se sente estressado, principalmente os cães, e estes podem perturbar os vizinhos com choros e latidos.

Caso você não possa levar o animal e não tenha com quem deixar, o ideal é procurar por um hotel para animais, que ainda presta atendimento personalizado, como no caso do hotel para cachorro idoso.

Nesses lugares, o animal estará inserido em um ambiente confortável para ele, junto de outros animais e sob os cuidados de profissionais preparados. Os hotéis para pets oferecem cuidados como:

  • Serviços de banho e tosa;

  • Alimentação adequada;

  • Cuidados e medicação;

  • Atendimento veterinário;

  • Acomodações adequadas.

Ou seja, o tutor pode viajar tranquilamente, porque seu animal estará sendo bem cuidado e assistido pela equipe do hotel especializado.

Mais uma razão que faz alguém levar o seu pet em uma viagem são as condições de saúde do animal. Cães e gatos mais velhos, que estejam com algum problema de saúde e que esteja tomando medicação, precisam de mais cuidados.

Por conta disso, muitos donos não conseguem se desvencilhar das necessidades dos animais, mesmo que seja apenas por um final de semana, e preferem levá-los consigo.

Dessa forma, caso haja alguma emergência, eles mesmos podem levar o animal para uma clínica veterinária 24hrs.

Essas são as principais motivações que impulsionam uma pessoa a carregar seu animalzinho de estimação a cada viagem que fizer. No entanto, é bom tomar alguns cuidados para não passar por momentos difíceis ao viajar com seu pet.

Transtornos podem ocorrer durante a viagem

Por mais que conheçamos o nosso animal de estimação, é difícil prever o comportamento dele diante de uma situação inusitada.

Por exemplo, como você acha que seu gato ou cachorro se comportaria em um engarrafamento na estrada que durasse horas, debaixo de um sol escaldante?

Se o seu carro não tem ar-condicionado, provavelmente o seu bichano vai precisar urgentemente de uma consulta para gatos ao chegar em casa.

Situações de estresse como essa podem acabar adoecendo o animal. Além disso, quando não são bem-treinados, os animais fazem suas necessidades em qualquer lugar, sempre que sentem vontade.

Se o responsável não tem condições de bancar as famosas fraldas descartáveis para pets, vai ter que forrar seus bancos com plástico ou simplesmente lidar com o mau cheiro.

Além disso, circular com animais de maneira indevida dentro do carro pelas estradas e avenidas pode gerar uma multa. Ou seja, além de verificar o alinhamento rodas traseiras do seu carro, terá que providenciar o assento devido do seu pet.

Qual é o comportamento do animal em relação a pessoas desconhecidas? É importante se atentar a isso antes de sair de casa, pois imagine que uma pessoa considerada desconhecida pelo animal entre dentro do carro. Qual será a reação dele? 

Se o cão ficar agressivo e morder um dos acompanhantes, com certeza isso será um grande transtorno, por isso, esteja atento às medidas de segurança para viajar com seu cachorro ou gato.

Dicas para uma viagem segura e confortável

Já que entramos no mérito da segurança, que quando se trata de uma viagem com animais vai além da verificação dos freios para veículos, vamos listar alguns cuidados que vão garantir uma viagem mais agradável, tais como:

1 - Passear com o pet antes da viagem

Como dissemos, é difícil prever o comportamento do animal dentro de um carro durante horas. Por isso, é importante prepará-lo antes do momento da viagem.

O melhor jeito de fazer isso é dar algumas voltas com o animal antes da viagem, para que ele se acostume a passar mais tempo fora de casa.

No caso dos gatos, se puder, passe mais tempo com ele na casa de amigos e parentes dias antes, para que ele se adapte a essa mudança.

2 - Usar uma plaquinha de identificação

Caso o animal se perca, é muito mais fácil identificar o proprietário e quem é o bichinho se ele estiver portando uma plaquinha com seu nome e o telefone do dono.

Essas plaquinhas podem ser compradas prontas ou você pode mandar fazê-las com um estilo personalizado, e deixá-las sempre penduradas na coleira do animal.

3 - Consultar um veterinário

Mesmo que o cachorro ou gato esteja com a vacina em dia, é indispensável consultar um veterinário dias antes da viagem, para que ele possa recomendar medicamentos para casos de urgência.

Soluções que não sejam indicadas pelo profissional não devem ser realizadas, afinal, elas podem piorar a condição do animal.

4 - Manter a vacinação em dia

Durante a viagem, as carteirinhas de vacinação do animal podem ser exigidas, e na falta de alguma dela, o tutor pode ter problemas.

Portanto, se você já está levando o bichinho para o veterinário para pegar uma receita para emergência, aproveite para colocar as vacinas dele em ordem. É melhor prevenir do que remediar.

5 - Verificar os itens na mala do pet

Por fim, pegue uma mala antiga de viagem e coloque nela alguns itens indispensáveis para a viagem com o seu animal de estimação, como sacos e uma pá para recolher a sujeira, garrafa para água durante a viagem, comedouro e bebedouro, além de uma cama.

Não se esqueça de incluir mantas, roupinhas, brinquedos, fraldas, toalhas e, claro, ração e petiscos.

Também prepare um pequeno kit de primeiros socorros, com itens como gaze, ataduras para pet, analgésicos e pomadas.

6 - Colocar o animal do banco de trás

Mesmo que você faça locação de van para praia para levar a família toda, o animal deve estar no banco de trás durante toda a viagem.

Os animais são como crianças e podem atrapalhar a pessoa que estiver guiando o veículo. Imagina, por exemplo, se no meio da estrada o cachorro ou gato resolva pular no colo do motorista? Além do susto, isso pode provocar um acidente.

Ademais, não basta colocar o animal atrás e achar que está tudo certo, é preciso usar alguns itens que irão garantir a segurança do bicho e dos passageiros, como:

  • Caixas de transporte;

  • Cinto de segurança que se ajusta à coleira;

  • Bolsas que se ajustam ao banco;

  • Capas para proteção dos assentos.

Todas essas soluções são excelentes para o pet. O importante, de qualquer forma, é não deixá-lo no banco da frente ou solto dentro do veículo.

Conclusão

Viajar com o pet, apesar de divertido, não é brincadeira e exige muita responsabilidade. Portanto, se você deseja momentos agradáveis com seu animal de estimação, esteja atento a todos os detalhes.

Seguindo essas dicas, seja no final de semana ou nas férias, a viagem se tornará muito agradável e vai render bons momentos entre você, sua família e seu melhor amigo.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.