Além de afetar a saúde, o excesso de agitação no temperamento também pode trazer problemas para o convívio familiar. Quando não tratada adequadamente, a doença gera transtornos compulsivos como forma de transmitir a ansiedade. Latidos em excesso, destruição de objetos em casa, agitação tanto diurna quanto noturna e giros em círculos são alguns exemplos, mas é importante estar atento para não confundir cães muito agitados com cães hiperativos.

 Como diagnosticar?

Segundo Leandro Marchi, comportamentalista e adestrador há mais de 20 anos, profissional de um currículo recheado de cursos nacionais e internacionais, o diagnóstico de hiperatividade não é tão simples quanto parece e envolve fatores bem maiores do que a percepção dos tutores a respeito do cãozinho. É necessário, por semanas, observar o comportamento do animal e lembrar que se há excesso de agitação é porque há excesso de energia que deve ser gasta. Por isso, é essencial passear por no mínimo 2 vezes ao dia (recomendado de 2 a 3) por 40 minutos cada passeio com o animalzinho. Fazendo isso todos os dias durante semanas e notando que a agitação continua, é importante consultar um neurologista animal, que é o profissional realmente apto a diagnosticar o seu cãozinho, descobrindo se, de fato, ele é hiperativo.

Caso o resultado dê positivo para hiperatividade, deverão ser feitos tratamentos medicamentosos de acordo com o especialista e uma readaptação da rotina do animal. Além de manter as atividades mínimas de 2 passeio diários no tempo recomendado, é importante socializar o animal com outros cachorros e seres humanos. Caso o resultado indique grande ansiedade sem hiperatividade, é necessário seguir o tratamento também recomendado, mas sem o uso de medicamentos.

                                         

O que fazer?

Para acalmar e ocupar a mente do seu pet, em qualquer um dos casos, a prática de atividades físicas também é uma boa opção. Brincadeiras desafiadoras estimulam fisicamente e, ainda, mantêm o animal calmo e livre do tédio, assim como o adestramento também é indicado como forma de educá-lo. Além disso, mudar a rotina de casa é essencial, o que inclui realizar passeios diários, ações como retirar objetos que ele morde de circulação e nunca dar ao animal o que ele deseja enquanto estiver agitado, pois o cérebro canino associa o fato de receber algo ao estado mental em que o pet se encontra. Por isso, se você der atenção ao seu cão e oferecer o que ele lhe pede quando ele estiver agitado, ele entenderá que precisa estar nervoso para conseguir o que quer. Já se você só prestar atenção nele e der o que quer somente quando ele estiver calmo, ele entenderá que precisa se acalmar para ganhar o que deseja e, com o tempo, se tornará um cão educado e equilibrado. Exercer a liderança enquanto tutor também é essencial para o bem-estar e a educação do seu cão, fazendo-o entender que é necessário se moldar a regras para obter o que deseja (jamais maltratando-o ou batendo nele).

 Não tenho tempo pro meu cãozinho. E agora?

Se o seu problema é esse, saiba que você não está neste barco sozinho e que, para isso, existem soluções. Uma delas é buscar boas creches caninas para o seu pet. Além de exercerem a socialização, lá se praticam as atividades de que os animais tanto precisam. Mas se o que o incomoda é a falta de tempo apenas para passear com o seu bichinho, a contratação de um bom dog walker (profissional apto a passear com cães) pode ser uma ótima pedida tanto para o gasto de energia do animal quanto para o convívio dele com outros cães, visto que é comum a prática do passeio com mais de um cão ao mesmo tempo.

 Não esqueça!

Assim como com seres humanos, é totalmente possível (e, inclusive, mais fácil) reeducar os nossos bichinhos. Sempre há solução. E aconselhar-se com profissionais competentes, sempre verificando o seu currículo e a satisfação dos tutores de antigos pacientes, é um grande aliado para melhorarmos o nosso convívio com os peludinhos que fazem parte da nossa família, sem esquecer, é claro, de realizar um plano de saúde bom pra cachorro. Será que sabemos qual é?