Na alegria e na tristeza, na saúde e na doença. A convivência com os pets pode ser mais benéfica do que se imagina. Além de aliviar a solidão, eles aumentam a qualidade de vida e ajudam na saúde física e mental. Estudos apontam que tutores de animais domésticos são mais felizes e correm menos risco de desenvolver doenças. Isso se dá devido à sensação de prazer e bem-estar que cães e gatos causam em humanos, aumentando a produção de endorfina no organismo e contagiando-os com sua energia.

Além da prevenção, os pets também contribuem na recuperação de pacientes em diferentes casos clínicos, podendo substituir medicamentos ou complementar o tratamento de quem enfrenta estágios avançados de doenças graves. O companheirismo dos animais ameniza sofrimentos e dá forças ao seu tutor para encarar os momentos mais difíceis.

Terapia Assistida por Animais

Popularmente conhecida como Pet Terapia, a Terapia Assistida por Animais consiste em tratamentos na área da saúde nos quais o animal é o principal agente. A técnica terapêutica apoia pessoas portadoras das mais variadas doenças, acelerando o processo de recuperação do paciente. A alternativa, que de início causou estranheza, hoje já é aceita pela maioria. Médicos, pacientes, pessoas com deficiência, depressão, ansiedade... Não há quem não apoie esta ideia.

Em São Paulo, hospitais como Albert Einstein, Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas e Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia praticam a Pet Terapia e acreditam na eficácia dos resultados terapêuticos em pacientes hospitalizados. A lei que permite a entrada de animais de estimação em hospitais prevê regras como a higienização dos pets, vacinação em dia e caixas adequadas para o transporte de cães e gatos, que devem estar presos por guias. Em Porto Alegre, o Instituto do Câncer Infantil também promove ações de Pet Terapia para crianças.

Câncer de mama e Pet Terapia: como funciona?

No Outubro Rosa, mês dedicado à luta contra o câncer de mama, destacamos a importância do contato com pets na recuperação de pacientes oncológicos, minimizando o estresse causado pela doença. O afeto dos animais estimula a interação, o carinho e a autoestima não só para mulheres que sofrem diretamente pelos impactos da doença, mas também para a família e profissionais da saúde que também convivem com as dificuldades do câncer de mama.

Não há recomendações específicas sobre quais animais podem contribuir no tratamento ou quais pacientes com câncer podem ser beneficiados pela Pet Terapia. À princípio não existem restrições, mas é preciso atenção para possíveis contraindicações em relação à detalhes particulares de cada paciente como alergias, por exemplo. A ajuda vale tanto com pets vindos de fora para ações voluntárias, quanto para animais de estimação do próprio paciente. O importante é a ajuda positiva causada pela técnica.

Cães e gatos podem, sim, auxiliar no tratamento de câncer e outras doenças. Informe-se sobre a Pet Terapia, pois a eficácia do método é comprovada. Se você gostou do assunto e quer mais informações sobre a técnica terapêutica com animais, invista em cursos especializados na área e domine o assunto.