Contrariando a crença de muitos, é mito. Cão e gato não são inimigos naturais, não. O que ocorre é que algumas atitudes cometidas pelos gatos, como saltar em árvores, ficar ouriçados, entre outras, acabam atiçando o instinto de predador do cão, que enxerga o felino como uma presa por se comportar assim. Além disso, por existir a crença cultural da inimizade nata desses pets, os seres humanos os afastam uns dos outros e incentivam, mesmo que inconscientemente, essa disputa.

Desmistificando a crença do sentimento rival, existem inúmeras pessoas que possuem as duas espécies em seus lares e que afirmam que elas convivem muito bem – principalmente quando os animais foram criados desde filhotes juntos. Assim como existem, por sua vez, tutores que afirmam que, mesmo com certa dificuldade, conseguiram acostumar cães e gatos a habitarem o mesmo espaço em harmonia. No último caso, em especial, é importante ressaltar que alguns cuidados essenciais devem ser colocados em prática.

Para acostumar um cão a conviver com um gato e vice-versa, é imprescindível fazê-lo aos poucos. Não deixar o felino solto com o cachorro nas primeiras vezes é essencial para preservar a segurança dele. Assim, para fazer essa readaptação certa, é imprescindível conhecer a fundo o comportamento dos dois animais e sempre supervisioná-los quando estiverem na companhia um do outro. Para esse processo ocorrer sem riscos, é indispensável o auxílio de um bom profissional para ajudá-lo, pois, acredite, mesmo que você ache que já é a hora de soltá-los para conviverem livremente, pode ainda não ser. Confie, portanto, no auxílio de alguém capacitado. Só assim você celebrará esta amizade sem traumas para o gatinho e sem riscos.