A civilização do Egito antigo existiu há 5 mil anos, ao longo do rio Nilo, no nordeste da África. Quando falamos dos antigos egípcios, é comum nós imaginarmos gatos fazendo parte desse cenário repleto de areias do deserto. Mas você sabia que os cães também eram muito importantes para esse povo? Confira agora cinco fatos que mostram como era ter vida de cão no tempo das pirâmides:

  1. Os cães eram parte da família

Se você acha que cães só viraram membros da família nos dias de hoje, você vai ficar surpreso. No Antigo Egito, faraós, sacerdotes e até pessoas de status social mais baixo tinham cães em suas casas. 

Segundo a egiptóloga Margaret Bunson, os cães "provavelmente foram domesticados no Egito nas 3.100 antes de Cristo”. Isso é muito tempo! Naquela época, os cães serviam para caçar, proteger a casa e também como animais de estimação.

  1. A morte de um cão fazia você ter de raspar todos os seus pelos

Quem já perdeu um cãozinho sabe que a tristeza que sentimos nesse momento é enorme. Os egípcios também sofriam a perda dos seus amigos de quatro patas, e faziam questão de mostrar ela para toda a comunidade. Quando um cão morria, os membros da família raspavam todos os pelos do corpo, incluindo o cabelo e as sobrancelhas!

Como a maioria dos homens e mulheres egípcios raspavam a cabeça para evitar piolhos e manter a higiene básica, a ausência das sobrancelhas era um grande sinal de que a pessoa estava de luto.

  1. Os cães se tornavam múmias após a morte… 

Quando um cachorro morria, os egípcios mandavam mumificar o cachorro com tanto cuidado quanto faria por qualquer membro humano da família. Eles acreditavam que encontrariam seus cães novamente na vida após a morte, por isso era tão importante que eles fossem embalsamados.

  1. Os cães tinham nomes criativos

Sim! Os cães dos egípcios tinham nomes interessantes e nós conseguimos saber quais eram. Como? Por causa das coleiras! Sim! Os egípcios colocavam coleiras nos seus cães… e gravavam o nome dos pets nelas. Por isso, sabemos que era comum chamar um cachorro por suas características, como “corajoso” e “fiel”. Outros preferiam colocar nomes que faziam referência a cor do animal, como “preto” e “branco”. Alguns cães tinham o nome de numerais, como “o primeiro” e “o quinto”. Estranho, né?

  1. Anubis, o deus canídeo

Os egípcios acreditavam que assim que morressem, seriam guiados para o além por Anúbis, o deus da vida após a morte.

Os mitos e lendas do Egito Antigo retratam Anúbis com corpo de homem e cabeça de chacal, um primo antigo dos cachorros. Hoje em dia, historiadores acreditam que a associação de Anúbis com chacais provavelmente aconteceu pois esses animais eram vistos rondando os cemitérios durante a noite.

Incrível, não é mesmo? Os cães estão ao nosso lado há muito mais tempo do que a gente imagina… 

 

Ficou curioso para saber mais e ainda ver imagens desses cachorros da época das pirâmides? Clique no link abaixo e assista o nosso vídeo!

assistir agora!