A adoção de cachorro pode ser um passo importante para a vida de ambos os lados, já esta será uma oportunidade de aprender a criar relações duradouras e essenciais, ainda mais no caso de crianças e adolescentes.

 

No entanto, é possível ter ainda mais certeza da adoção e compromisso com tudo o que ela abrange, incluindo os motivos reais dessa escolha por animais domésticos, os passos que devem ser feitos antes e depois da aquisição de um bichinho.

 

Saiba, a seguir, um pouco mais de cada etapa e entenda o que se deve fazer ao longo desse processo de adoção. Acompanhe!

Por que adotar um animal de estimação? 

Adotar um cachorro é, além de um ato de amor e solidariedade, uma forma de ajudar com que muitos animais saiam da rua. No entanto, nesta primeira conversa, vamos entender melhor sobre os motivos que levam uma pessoa a adotar fora deste contexto.

 

Os animais são conhecidos há séculos como os melhores amigos do homem. São companheiros fiéis, criaturas alegres e descontraídas que quase sempre nos ensinam e nos cativam com o que transmitem para nós.

 

Muitas pessoas optam pela adoção para alcançar esse relacionamento próximo com um animal, ainda mais quando vivem em casas e apartamentos sem a presença de muitas pessoas, necessitando de maior segurança.

 

É nessa solidão que, muitas vezes, a presença de um animal preenche espaço. Além de virar instantaneamente uma companhia, animais nos fazem viver conforme outras rotinas, vivências estas que acabam por nos trazer certa disciplina.

 

Outro bom motivo, e talvez um dos mais populares, é adotar cachorros para que eles façam parte do crescimento de crianças e adolescentes, algo que além de trazer responsabilidade para eles, auxilia na criação de laços e descontração familiar.

 

É um fato também que cachorros estimulam nossas formas de contato com outras pessoas, seja em passeios ao ar livre, em uma festa de aniversário para o pet, ou até mesmo em conversas com familiares ou vizinhos, algo que motiva pessoas a escolherem adotar.

 

Agora, falando em um aspecto de importância, a adoção de cachorros, gatos e outros animais que podem ser criados em ambiente doméstico contribui enormemente para a modificação da situação nas ruas, que se encontram sempre cheias de abandonados.

 

De acordo com um levantamento do Instituto Pet Brasil, em uma contabilidade de 2019, cerca de 170 mil animais abandonados foram resgatados das ruas e estão sob os cuidados de ONGs e grupos que trabalham com a proteção animal.

 

Por isso, a adoção de animais faz com que grande parte dessa realidade possa ser mudada, e que nas ruas não existam animais sofrendo maus-tratos, passando frio e fome, tendo a oportunidade de serem bem acolhidos e recebendo tratamento estético e higiênico.

 

Por fim, uma das principais ações dentro da adoção de cachorros é a diminuição da necessidade de compra e venda de filhotes e animais adultos.

 

Esse mercado, apesar de polêmico, segue em funcionamento, obrigando o cruzamento de animais, muitas vezes apresentando ambientes agressivos e sem cuidados para que filhotes nasçam e façam parte do comércio que fatura muito ao longo do ano.

Preparação e processo de adoção

Entendendo melhor sobre os motivos e importâncias na adoção de cachorros, agora é hora de entender quais são as preparações e partes do processo de adoção, para que você esteja certo de que poderá cuidar com responsabilidade de seu futuro bicho.

 

A primeira pergunta que você deve se fazer é se realmente quer adotar um cachorro e se terá condições financeiras e emocionais para se comprometer com a aquisição de um bichinho, lembrando que essa será uma responsabilidade até ao fim da vida do animal.

 

É preciso ter compreensão que não é saudável para animais que estão na fila de adoção, ainda mais aqueles que passaram por traumas como o abandono e maus-tratos, serem adotados e depois continuarem passando por experiências ruins na nova moradia.

 

No momento em que se compromete em cuidar de um animal, essa deve ser uma promessa que seja cumprida até o fim, ou até que uma situação extrema inviabilize isso.

 

Já o segundo passo, dentro do processo de preparação para adoção, é procurar organizar seu ambiente para a chegada de um animal. Como em qualquer tipo de adoção, o novo morador da casa deverá se sentir à vontade e bem-vindo, além de estar em segurança.

 

No caso de animais, essa segurança deve ser ainda mais redobrada, justamente por muitos não possuírem treinamentos de comando e não entenderem que certos limites devem ser respeitados, como portões que dão para rua ou janelas em edifícios altos.

 

Para isso, procure comprar e instalar tela de proteção para janela para evitar acidentes em janelas ou mezaninos e instale grades ou arames sem possibilidade de corte para que pequenos filhotes não entrem em buracos abertos ou passem por grades e fujam.

 

O terceiro passo dentro do processo de preparação para acolhida de um animal doméstico é investir em equipamentos, objetos, remédios e outros itens que você possa vir a sentir necessidade, já que quando ele chegar, será mais difícil resolver essas questões.

 

Invista em potes de água e ração, comida apropriada para raça e tamanho dele, caso você já saiba com antecedência, e também procure se informar sobre o endereço ou número de alguma clínica veterinária, que pode ser usado em casos de emergência.

 

Com todas essas etapas cumpridas, fica mais fácil e menos desesperador o processo de adoção de um animal, algo que pode facilitar na hora da entrevista para adoção, algo que muitos grupos de abrigo fazem para ter certeza de que o animal irá para um lugar saudável.

Após adoção, o que fazer?

Agora que você já entendeu todo o processo de adoção de um cachorro e tudo o que deve investir antes que seu animalzinho chegue na sua casa, é hora de saber tudo o que você precisa ficar constantemente atento depois que seu bichinho já está em casa. Confira:

1 - Castração

Dependendo da idade, da condição física e mental do seu bichinho, preze por correr atrás do processo de castração, uma forma de combater doenças, melhorar a qualidade de vida do animal e também prevenir uma gravidez indesejada.

 

Sobre este último, a questão é que muitos animais vivem em lugares abertos, e acabam tendo contato com outros animais, algo que aumenta as chances de gravidez.

 

Isso pode acabar dificultando um bom investimento de vida para cada um dos filhotes que nascerem.

2 - Vacinação

No momento da adoção, você deverá ter conhecimento de todas as vacinas que já foram aplicadas no seu bichinho, bem como aquelas que precisam ser dadas. Assim como em humanos, a vacina deve ser essencial e obrigatória para preservar a vida de um cão.

 

Algumas das principais, essenciais para um animal em seus primeiros anos de vida, são:

 

  • Antirrábica;

  • Gripe;

  • Contra fungos;

  • Leptospirose;

  • Específicas para cães.

 

Tenha sempre em mãos a carteirinha de vacinação de seu animal, e fique sempre antenado nas campanhas municipais de vacinação, que muitas vezes podem se tornar emergenciais em casos de surtos de doenças.

3 - Consultas periódicas

Os exames laboratoriais para cachorro, gato ou outros tipos de animais domésticos são essenciais, e devem ser prioridade, principalmente se os bichinhos já são considerados adultos. São esses exames que permitem tratamentos precoces contra possíveis doenças.

 

Procure ter um veterinário de confiança, que já acompanha há um tempo toda a situação de seu cachorro, e que entenda quais as necessidades dele a cada fase de crescimento.

 

Muitos consultórios oferecem, ainda, vantagens relacionadas à banho e tosa, algo que pode ser vantajoso, além de aproveitar uma mesma saída de casa.

4 - Mudanças de ração

No decorrer do crescimento de um animal, assim como em um humano, vão sendo vistas necessidades de melhorias na saúde, relacionadas à faltas de nutrientes ou alimentos que auxiliem determinadas partes do corpo, como rins, coração e intestino.

 

Para isso, o mercado atual oferece uma infinidade de rações ou comidas enlatadas, de vários tipos e marcas, que devem ser receitadas por veterinários para auxiliar na qualidade de vida de um bichinho.

5 - Rotinas que atendam o animal

Um animal, assim como uma criança nova em casa, exige mudança de rotinas e atividades dentro e fora de casa por parte dos moradores.

 

Isso acontece porque, muitas vezes, alguns animais precisam sair do ambiente doméstico, seja por necessidade fisiológica ou mental.

 

Tenha em mente que a partir do momento da adoção de um cachorro você deverá prestar atenção para as necessidades dele, e isso pode envolver desde um horário certo para passeio, como a  mudança de um piso específico que esteja o incomodando.

 

Por fim, procure sempre entender e conhecer melhor todas as necessidades do seu cão, afinal, cada bichinho é diferente do outro, e cada um deles pode se adaptar de maneira diferente ao seu estilo de vida ou ao recanto do seu lar.

Conclusão

Adotar um bichinho pode demandar um processo responsável de ação, mas com certeza compensa muito, ainda mais porque é muito difícil resistir ao carinho de um cachorro. 

 

Por isso, procure sempre que puder a adoção consciente e gratuita. Dessa forma, você estará ajudando a vida de bichinhos, recebendo muito carinho e companhia em troca.


Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.