Todo mundo que tem um animal de estimação já pensou em como seria se eles durassem tanto tempo como os humanos. Mesmo que o tempo em terra não seja o mesmo, um pet mais saudável pode viver muito mais do que o normal, quase sempre sem doenças.

 

Conheça agora como você pode melhorar a qualidade de vida do seu pet, seguindo algumas responsabilidades essenciais que devemos ter com eles. Acompanhe!

Responsabilidades com um animal de estimação

Ao adotarmos um pet, precisamos ter em mente uma série de deveres e responsabilidades com eles e o espaço onde vivem. Assim como no cuidado com uma pessoa, é necessário ter pensamento no bem-estar de um bichinho.

 

As principais preocupações geralmente estão relacionadas à manutenção da vida diária dos animais, seja em um âmbito de diversão e descontração, alimentar, estético ou essencial, como no caso da saúde deles.

 

Antes de se comprometer com o cuidado de um animal, é necessário verificar quais as condições reais na sua vida ou dia a dia. Por exemplo, você terá condições de arcar com os custos de um raio x em uma clínica veterinária, que pode ser essencial em uma emergência?

 

Você terá disposição e tempo para passear com animais que exigem uma vida em ambientes externos? Essa é uma das principais tarefas que donos de animais precisam ter em mente para cuidar do desenvolvimento e qualidade de vida dos pets.

 

Além disso, você terá condições de arcar com rações específicas, que devem ser compradas semanalmente ou mensalmente, além de investimento em tela para janela, para o caso de locais naturalmente inadequados para animais?

 

Mesmo naqueles ambientes onde pessoas consideram animais membros da família, o entendimento por algumas dessas obrigações com o animal, às vezes, é falho, acarretando em um descuido que pode ser prejudicial ou até mesmo fatal para eles.

 

Dependendo da maneira que cuidamos deles, seu tempo de vida pode ser prolongado, algo que anima muitas pessoas que são ligadas emocionalmente com esses bichinhos. Por isso é essencial saber com profissionais todas as tarefas que você, como dono, deve cumprir.

 

Entenda no tópico a seguir porque é necessário se preocupar com a saúde do pet, e como algumas questões que envolvem o bem-estar do seu bichinho podem, muitas vezes, passar despercebidas em rotinas agitadas.

Com o que devemos nos preocupar?

Desde o momento em que você resolveu adotar um cachorro ou gatinho, você tem o compromisso de zelar pela qualidade de vida dele, podendo ainda, aumentar sua qualidade de vida por meio de cuidados direcionados e constantes.

 

No entanto, muitas pessoas acabam perdendo seus companheiros em pouco tempo, ou em períodos não imaginados. 

 

As razões, muitas vezes, quase sempre não estão ligadas à doenças, mas sim, à questões que poderiam ser evitadas com doses maiores de prevenção.

 

Esse é um exemplo que vemos quase diariamente. São muitos os tutores de animais domésticos que não se importam com questões relacionadas à saúde mental, higiênica e física, inclusive endossando práticas incorretas, pela vista de profissionais.

 

Sobre a saúde mental, podemos entender que, assim como em muitos casos na vida humana, com os animais nem sempre estas questões são levadas a sério, bem como acompanhadas por resolução.

 

Por exemplo, é comum que alguns cachorros precisem passear constantemente fora do espaço onde brincam e vivem, como em ruas e praças. 

 

Isso se deve ao fato do animal, independente do tamanho, precisar gastar suas energias correndo, andando ou até mesmo usando algum brinquedo. Neste caso, é comum que donos levem-os até parques, ruas próximas ou rios.

 

No entanto, muitas pessoas ignoram esses fatos, inclusive os sinais que o cachorro dá ao pedir um passeio. Infelizmente, essa ação leva, quase sempre, à uma depressão no animal, podendo ser um fator que o leve a adoecer ou falecer.

 

Já em um âmbito de higiene, é possível reparar que muitos animais adotados vivem em condições precárias, em alguns casos piores que o que passam nas ruas. Podem ser fezes acumuladas junto com comidas e águas, sujeira excessiva e contato com bichos, etc.

 

A limpeza de um local pode, por exemplo, prevenir e retirar possibilidades de praga de pulgas, uma das piores doenças que um cachorro ou gato pode passar, justamente pelo alto índice de consequências ao animal.

 

Há ainda quem além de não se importar com a tosa e banho ou limpeza dos ambientes com as pulgas, insista em manter ideias de que esses animais podem viver anos sem tratamentos apropriados, bastando levá-los no veterinário apenas em caso de adoecimento.

 

As pulgas, além de trazerem grandes riscos de contaminação no sangue, tanto em animais quanto nos próprios humanos, causam inúmeros malefícios para a pele e para a saúde mental dos animais, que se estressam mais enquanto ficam adoecidos.

 

Por fim, uma outra questão que deve ser objeto de preocupação entre donos de pets é o cuidado constante relacionado à saúde física, que pode ser facilmente cuidado com visitas constantes ao veterinário, para exames como tomografia veterinária.

 

Muitas vezes, a ida frequente a esses especialistas não é comum, pois como já mencionamos, são requisitados apenas em eventuais emergências. 

 

Assim como cuidados de saúde, com check-ups anuais e cuidados mensais, é necessário levá-los ao veterinário para uma avaliação clínica apropriada.

 

Com a preocupação com a vida do seu pet e esforço para resolver cada um dos problemas de maneira preventiva, pode trazer os seguintes benefícios:

 

  • Longevidade;

  • Menos chance de doenças;

  • Imunidade alta;

  • Menos gastos emergenciais.

 

Lembre-se que, por não termos a mesma forma de comunicação de animais domésticos, nem sempre entendemos as suas necessidades. Por isso, a melhor das práticas de cuidado é gerada por meio de observações diárias em um modo geral.

Como proporcionar qualidade de vida para os pets

Agora que você já entendeu sobre o porque devemos nos importar com a qualidade de vida de nosso animal de estimação, chegou a hora de aprender algumas das principais dicas que um dono de pet iniciante ou veterano deve cumprir regularmente:

1 - Foco nas vacinas

As vacinas que fazem parte das obrigatórias para animais, como as relacionadas à raiva, leptospirose, gripe e outras específicas para cada animal devem ser sempre checadas em clínicas e hospitais próprios, de preferência anualmente.

 

Em geral, as vacinas começam a ser tomadas com alguns dias ou meses de vida, e podem continuar sendo dadas até a fase em que o cachorro ou gato estiver idoso. 

 

Manter essa prática melhora a imunidade de seu animal, fazendo com que ele viva mais e se proteja melhor de eventuais doenças.

2 - Invista em bons alimentos

Encontrar alimentos para animais é uma tarefa fácil, afinal, em quase todos os supermercados ou lojas de ração existe uma fileira de opções de comidas para os bichinhos. No entanto, aquelas de melhor qualidade para ele não estarão nesses locais.

 

Para a melhoria de qualidade de vida, e em consequência, a longevidade do animal, é interessante que se invista na compra de rações de qualidade, geralmente passadas por médicos competentes, que contenham nutrientes para cada caso.

 

Inclusive, encontrar comidas adequadas para os animais de estimação quando saímos pode ser um tanto difícil. 

 

Alguns restaurantes “pet friendly” já possuem espaços específicos para comidas destinadas à animais domésticos, facilitando o acesso a alimentos de qualidade.

3 - Cuide da higiene regularmente

Sempre que puder, mantenha a higiene de seu animal, como banhos de tosa e também higiênicos. Profissionais especializados poderão fazer limpezas mais corretas nos bichinhos, prevenindo ambientes de infestações, como no caso de pulgas.

 

Saiba que alguns animais, como gatos, quase sempre se limpam sozinhos, e não necessitam de tantas visitas à banhos, em comparação com cachorros.

4 - Aumente as idas ao veterinário

Conforme citado anteriormente, muitas pessoas acabam não levando os animais constantemente ao veterinário, deixando essa situação para quando o mais grave acontecer. Certamente essa não é uma ideia inteligente.

 

Quanto mais você levar seu bichinho ao médico, para atendimentos de prevenção e para saber se ele pode comer determinados alimentos, mais ele estará bem cuidado para possíveis emergências. 

 

Como por exemplo, um cachorro que tem um tumor retirado antes que pudesse inflamar, por meio de um raio-x preventivo.

5 - Brinque sempre com seu bichinho

Por fim, não esqueça que, para cuidar da saúde de seu pet e prolongar a companhia dele em vida, é necessário dar atenção e carinho sempre que for possível.

 

Seja em jogo de bola, brincando com objetos coloridos e fazendo barulho. Seus bichinhos precisam sempre se sentir felizes, e a atenção unida à brincadeira é primordial para esse objetivo.

Conclusão

Que tal fazer hoje mesmo um check-list de tudo o que você deve correr atrás para melhorar a saúde de seu bichinho? Comece hoje a mudar rotinas e trabalhar para que seu animal viva muito, de forma saudável e feliz.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.